Engenharia Agronômica

Apresentação do Curso

O CURSO

O Curso de Engenharia Agronômica da FQM (Faculdade de Quatro Marcos) tem duração de cinco anos (com carga horária aproximada de 4000 horas). Enquanto ferramenta de transmissão e difusão da cultura, da ciência e da tecnologia, tem como missão contribuir para o desenvolvimento social e econômico da região, promovendo um ensino superior de excelência e qualidade, possuindo ainda intuito de promover e estimular os cursos de pós-graduação, de especialização e de atualização, desenvolvendo atividades de investigação fundamental e aplicada, bem como prestando serviços à comunidade numa perspectiva de valorização recíproca.
As ideias que norteiam o curso estão voltadas para um modelo que estimula o desenvolvimento do setor agropecuário através de abordagens criativas, inovadoras e dinâmicas que despertem o espírito questionador e crítico para fomentar a agricultura sustentável e competitiva em mundo globalizado.

OBJETIVO

O curso de Engenharia Agronômica da Faculdade Quatro Marcos tem por objetivo principal formar Engenheiros Agrônomos com sólida base técnico-científica, de forma a habilitar de forma efetiva o exercício profissionais destes, propiciando a capacidade de planejamento, projeção e execução de processos produtivos e que estes estejam comprometidos com a produção agropecuária sem se esquivar dos princípios éticos e os impactos causados por essas atividades.

MERCADO DE TRABALHO

No mercado de trabalho, o profissional de Engenharia Agronômica possui uma ampla área de atuação, podendo tanto trabalhar diretamente no campo como empreendedor rural quanto prestando serviços para grandes empresas nacionais e multinacionais e demais empreendedores. Há ainda a opção de lecionar em escolas profissionalizantes e em faculdades, além de ministrar cursos para pequenos produtores. Para atuar na área, é necessário ter o registro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA).

De modo geral o mercado de trabalho para Engenheiros Agrônomos é amplo, sendo que os profissionais podem atuar nas seguintes áreas:


1. Administração rural (produção, recursos humanos, finanças, comercialização);
2. Extensão / Assistência Técnica (cooperativas, assessorias, etc.);
3. Economia / Crédito Rural (bancos, consultoria, planejamento);
4. Produção de Alimentos (convencional, orgânica, micropropagada e transgênica);
5. Sanidade Vegetal (diagnósticos, orientação técnica e ambiental, pesquisa e extensão);
6. Meio Ambiente (legislação ambiental, recuperação de áreas degradadas e programas de educação ambiental);
7. Suprimentos Agrícolas (fertilizantes, agrotóxicos, implementos);
8. Pesquisa e Desenvolvimento (experimentação, divulgação e técnica);
9. Engenharia Rural (topografia, irrigação e drenagem, geoprocessamento, georreferenciamento, construções);
10. Zootecnia (nutrição animal, reprodução, melhoramento genético, manejo dos animais, forragicultura);
11. Agroindústria (alimentícia, não alimentícia, produtos vegetais e animais);
12. Paisagismo, plantas ornamentais e medicinais (produção, comércio, serviços);
13. Órgãos Governamentais (políticas agrícolas e de desenvolvimento rural, serviços de fiscalização, supervisão, orientação técnica, serviço quarentenário);
14. Reflorestamento e Meio Ambiente (exploração florestal, planejamento ambiental);
15. Ensino em Ciências Agrárias.